Greenz
Festival do Clube de Criação 2018 – Quem não ousa é bundão
por Greenz Digital

Ah, o Festival do Clube de Criação… Uma premiação que está em seu 43º ano e, nos últimos 7, virou festa!

Desde 2012, a condecoração dos trabalhos criativos e das mentes por trás deles acontece como um verdadeiro festival de ideias: encontros, descontração, palestras, debates, workshops, referências, networking, trabalhos e, claro, a premiação.

E, para começarmos, olha só o vídeo produzido pela FCB Brasil para essa edição do Festival, que rolou nos dias 22, 23 e 24 de setembro, na Cinemateca Brasileira de São Paulo.

A campanha “O Desconhecido”, que contou também com peças para mobiliário urbano digital, banners em redes sociais e anúncios, incita a busca pelo inexplorado – um mindset fundamental na indústria da criatividade e tema do Festival do Clube de Criação desse ano.

Para que os criativos e entusiastas pudessem fazer esse mergulho ao mundo das emoções e das ideias inexploradas, o Festival, que é all about economia colaborativa, fez uma parceria com a Cabify e arranjou 30% de desconto nas idas e vindas para a Cinemateca nos dias do evento.

Dentre esses que foram e que vieram – de Cabify ou não – estavam nomes ilustres no ramo da publicidade e profissionais relevantes de várias áreas, como cinema, moda, gastronomia, arquitetura e, claro, propaganda.

Cildo Meireles, considerado um dos mais conceituados artistas plásticos do Brasil, esteve entre os presentes e a desconstrução da sua obra e seus processos criativos por ele mesmo, mais Juliana Monachesi e Felipe Cama, foi um ponto de destaque no festival segundo Luiz Gustavo, designer aqui na Greenz.

Foto: Miguel Schincariol

“Entender a individualidade de cada projeto e ter de se reinventar como artista para cada um deles é extremamente motivador, inspirador e faz com que a metamorfose seja constante,”

apontou Luiz, quando questionado sobre o talk de Cildo Meireles, que você pode conferir clicando aqui.

O aracajuense Lucas Gonçalves, redator na Greenz, enfatiza o caráter motivacional da mesa “Bundão: ser ou não ser?”, mediada por André Gola, Diretor de Criação na AlmapBBDO e responsável pelo livro do ano passado.

“Saí de lá muito inspirado, sabe? Você sai de lá realmente querendo por em prática tudo o que aprendeu e ouviu. É uma experiência f***, não só para quem é da área ou para quem trabalha com criatividade, mas para qualquer pessoa que queira começar a fazer as coisas de um jeito diferente, de um jeito que faça mais sentido.” 

Foto: 42º Anuário do Clube de Criação

“Bundões” foi o tema do 42º anuário do Festival do Clube e é uma crítica humorada à uma postura muito comum (infelizmente) no mercado criativo: o abrir mão de ideias ousadas para se manter dentro das margens de segurança. Clique aqui para ler sobre o anuário.

E por último, mas não menos importante (rsrs), vamos falar sobre a escolha do júri e revelar as duas grandes agências que roubaram a cena no Festival do Clube de Criação esse ano: AlmapBBDO e F/Nazca S&S.

A Almap foi a mais premiada no 43º Festival do Clube, conquistou 29 troféus e se destacou nas áreas de criação com 3 Ouros, 11 Pratas e 8 Bronzes. E, só para embasar, fica aqui uma das ideias da agência que foi premiada nesse anuário:

A produção, em parceria com a Getty Images, queridinha dos designers de plantão, foi além da divulgação e do enaltecimento da biblioteca de áudios. O filme, que não já não é mais mudo, tornou-se também um cardápio de áudio e todas as trilhas usadas em sua composição poderiam ser compradas enquanto se assistia ao vídeo. A ideia rendeu 1 Ouro e 3 Pratas para a agência.

A segunda colocada na classificação geral, F/Nazca conquistou 25 prêmios e foi a agência mais premiada nas áreas técnicas do Anuário do Clube de Criação: 2 Ouros, 3 Pratas e 8 Bronzes. Um dos Ouros foi esse aqui:

 Na categoria Filme, a tocante peça produzida para a Sadia rendeu Ouro em Trilha Original (F/Nazca S&S e Tesis) e Prata em Direção de Ator (F/Nazca S&S e Killers). Uma ideia boa com execução impecável, digna dos holofotes e dos nossos corações. 

Participar do Festival do Clube de Criação é uma experiência que acrescenta muito para os envolvidos, seja para quem está concorrendo, para quem está aprendendo, para quem está ensinando e para quem está fazendo networking – no fim das contas, quem vai ao Festival acaba fazendo todas essas coisas no mesmo lugar e ainda sai de lá motivado, inspirado e com a cabeça oxigenada, apta a dar vida à ideias criativas que fazem a diferença! Quer dizer, se tiver coragem.

Foto: 42º Anuário do Clube de Criação

Busque pelo inexplorado, não seja um bundão 😉

 

*por Yago Conca | Redator na Greenz

Deixe um comentário