Greenz
O mês do Orgulho LGBT+ e a Publicidade
por Greenz Digital

Ah, junho chegou! Um mês cheio de festa, celebração… e de MUITO ORGULHO, SIM! Obrigado. Este é o Mês do Orgulho LGBT+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros, Travestis e Transexuais e “+”, que inclui as demais orientações de gênero – tão importantes quanto as citadas).

A cultura pop, no geral, abraçou o movimento, os meios de comunicação estão falando do assunto com mais recorrência e as marcas, com a visibilidade que têm, estão dando apoio à causa. E é sobre isso que vamos falar hoje: separamos algumas das campanhas e ações – brasileiras e internacionais – que vêm rolando neste Mês do Orgulho LGBT+.


Mas antes de entrar no assunto, um pouco de história:

Em 28 de junho de 1969, em Nova York, policiais fizeram uma batida no bar StoneWall, disseminando desrespeito e preconceito com o público de lá. Cansados de toda a violência, humilhação e perseguição que sempre sofriam, os frequentadores do bar (travestis, transgêneros, drags, gays e lésbicas periféricas e negras) resistiram à polícia e lutaram. Desde então, em homenagem à Revolta de StoneWall, essa data ficou conhecida como o Dia Internacional do Orgulho LGBT+. Junho tornou-se o Mês do Orgulho LGBT+ e as marchas pela liberdade, respeito e igualdade começaram – nascendo assim as Paradas do Orgulho LGBT+.

Fonte: Conteúdo restrito, Wikipedia 

Voltando aos dias de hoje, a luta e a resistência continuam e a comunidade LGBT+ começa a ter voz, mesmo que ainda seja muito silenciada.


Campanhas que estão de parabéns

Damos o ponta pé inicial nessa lista com uma das patrocinadoras da Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo:

Skol – #MarcasAliadas

Fonte: Adnews

Seus filmes de 2016 (“Estrada”) e 2017 (“Mãos”) vieram para celebrar a diversidade e afirmar seu posicionamento e apoio à causa, mas “Mãos” foi além disso: a Skol convidou o espectador a aliar-se a ela também. E como uma continuação desse discurso, em 2018 ela se aliou ao Burger King, à Bis, à Trident e à Quem disse, Berenice? para doar uma parte de seu logo – simbolizando a identidade das marcas – formando a sigla LGBT+, e uma quantia em dinheiro para a Casinha, a Todxs e os coletivos Não Desculpo e Transformação, entidades que lutam e atuam no movimento. Além disso, faz um convite para que todas as empresas do Brasil e do mundo se aliem também, doando simbolicamente letras de seus logos e parte de sua renda até o Dia do Orgulho LGBT+ deste ano. “Nosso desejo é ir mais longe”, disse o gerente de marketing da Skol, Daniel Feitoza, em uma conversa com a AdNews. “Essa não é uma discussão que começa agora e se encerra no fim do mês. É um assunto constante, que não pode fugir do nosso cotidiano” disse Daniel. Outras marcas também aceitaram o convite e estão entrando nessa para tornar a aliança ainda mais forte, como é o exemplo do Itaú, da AccorHotels, do Bradesco, do GNT, do Mercado Livre, do Next e da Vult. A campanha é assinada pela F/Nazca Saatchi & Saatchi.


Doritos – Amplie seu mundo

Essa é a volta do Doritos Rainbow para o Brasil, uma edição “cheia de orgulho” do salgadinho. Na campanha “Amplie seu mundo, escute a Voz de Rainbow”, idealizada pela agência AlmapBBDO, a marca, junto com personalidades e ativistas da causa, convida o público a… ouvir. O discurso adotado é um convite para que as pessoas ouçam a comunidade LGBT+, suas questões, suas vivências e sua realidade para que, assim, a sociedade possa se abrir à diversidade, ao amor, à igualdade, à aceitação, à empatia e ao respeito. Essa é a continuação da ação de 2017 – mais como uma evolução da ideia, na verdade. Porém, diferente do ano passado em que o público só conseguia o salgadinho fazendo uma contribuição na internet, este ano o Doritos Rainbow será vendido nos estados de São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro e todo o dinheiro das vendas (sim, 100% do que for arrecadado) será revertido para cinco organizações que atuam na causa: a Casa 1 e mais quatro instituições, uma em cada região brasileira. Junto a isso, a Doritos reforça a ideia de ser uma marca que acredita na liberdade de expressão.


Airbnb – Abra a sua Porta para a Diversidade

O Airbnb também embarcou nessa viagem e lançou uma campanha que durará todo o Mês do Orgulho LGBT+, apoiando a causa. O mote é “Abra sua Porta para a Diversidade” e, com este discurso, ela quer fazer um convite para que todo o público reflita sobre seu sentimento de pertencimento e que abram as portas para um mundo de possibilidades, de igualdade, de respeito e aceitação.

O vídeo foi idealizado pela própria Airbnb com a Associação Internacional de Turismo LGBT (IGLTA) e produzido pela Yourmama. Nele, a gente acompanha Thaís e Bibi, um casal que se aventura em viagens e que se sente em casa sendo elas mesmas.

A empresa também fará uma doação no valor de R$ 200 mil para instituições que se posicionam junto ao público LGBT na luta contra a discriminação de gênero e sexualidade, e utilizará do Facebook e Instagram para lançar uma série de depoimentos de influenciadores e da própria comunidade Airbnb contando suas histórias de batalhas contra intolerância e superação de preconceitos.


Não é só por aqui que as empresas estão se movendo e se posicionando no assunto. Destacamos dois cases lá de fora que valem a pena o clique:

Levi’s – Pride Collection

Com cinco anos de Levi’s Pride e mais de 30 anos apoiando a causa LGBT+, a Levi’s, em parceria com a Harvey Milk Foundation e a Stonewall Community Foundation – organizações que apoiam o movimento – lança sua coleção do Orgulho LGBT+. A edição deste ano tem como tema “I AM ______”, em que a marca abraça todas as identidades e celebra a individualidade. A coleção completa já está à venda no e-commerce da Levi’s, incluindo camisetas, jaquetas, bonés, cintos, meias e por aí vai. O melhor de tudo? 100% da renda líquida levantada com as vendas da coleção será doada para as instituições citadas acima.


FBC Health – Blood Flags

Fonte: Clube da Criação

Na campanha “Blood Flags, criada pela agência FBC Health de Nova York e a ONG Gay Men’s Health Crisis (GMHC), as bandeiras de alguns países são apresentadas “dentro” de bolsas de sangue, que foram costuradas em uma bandeira LGBT+. Essa campanha impactante veio para alertar e evidenciar o problema da doação de sangue em países como Brasil, Austrália, Canadá, Estados Unidos e Alemanha. Qual o problema? Nesses países pessoas homossexuais e bissexuais não podem doar sangue… Isso mesmo! Na verdade podem, mas apenas se ficarem um ano sem praticar relações sexuais. A campanha lamenta tal atitude e quer promover uma discussão mundial sobre o tema, além de pressionar os governos dos países a finalmente permitirem que a comunidade LGBT+ doe sangue, retirando o veto antes imposto.


Concluindo

Esses são apenas alguns exemplos de algo que já sabemos: o mundo está mudando (e que bom que está!). As marcas citadas deixaram claro que as ideias, ideologias, tecnologias e os movimentos estão em uma constante metamorfose em direção a um mundo com menos preconceitos, menos intolerância e menos desrespeito. Hoje, como comunicadores devemos, mais do que nunca, questionar, ter ideias disruptivas, quebrar paradigmas antiquados e deixar sempre a mente aberta para novas possibilidades, perspectivas e vivências e usar nosso poder de comunicação e a visibilidade que temos em mãos para fazermos uma real diferença (não apenas dinheiro).

O Mês do Orgulho LGBT+ termina no dia 30 de junho, mas a luta da comunidade continua todos os dias e continuará até que seja devidamente ouvida e respeitada.

*por Alex Canpe | Redator na Greenz

Deixe um comentário