Greenz
Outubro Rosa x Novembro Azul
por Greenz Digital

Outubro Rosa já passou e Novembro Azul também, mas será que a internet realmente entendeu sobre o que se tratam essas homenagens?

Este tema foi fomentado por uma análise de repercussão feita pela ADNEWS, referente à uma pesquisa baseada no Twitter. A Scup, através do Scup Social, ferramenta responsável por monitorar toda a repercussão das ações feitas nesses últimos dois meses, encontrou resultados que são, no mínimo, interessantes.

Contexto:

Anualmente são feitas campanhas de conscientização sobre o câncer de mama (Outubro Rosa) e sobre o câncer de próstata (Novembro Azul). A ideia é transmitir à população a importância de se prevenir contra essas doenças que estão se tornando cada vez mais comuns com o passar do tempo. Essas ações são muito importantes e, felizmente, cada vez mais empresas e instituições têm aderido às causas, principalmente nas mídias sociais.

Dados e comparativos Outubro Rosa x Novembro Azul:

A repercussão geral acerca do tema “Outubro Rosa” é muito superior e isso fica muito evidente quando olhamos para o volume de tweets com essa tag: foram 29.289 contra 14.615 #NovembroAzul. Isso acontece porque a data é internacionalmente conhecida desde 1990, apesar de ter chegado ao Brasil apenas em 2002, mas já com bastante visibilidade. As ações de “Novembro Azul”, por outro lado, vieram um pouco depois. Começaram em 2003 na Austrália com o movimento “Movember”, que traz uma brincadeira com as palavras em inglês Mustache (bigode) e November (novembro). No Brasil, a ação chegou em 2008 através do Instituto Lado a Lado pela Vida em parceira com a Associação Brasileira de Urologia (SBU).

Um outro problema demonstrado pelo estudo é que uma boa parte dos homens ainda enxerga o exame de toque com preconceito e cerca de 44,6% das menções tiveram essa tag associada. Algumas outras palavras que foram muito associadas à tag Novembro Azul são: vergonha, prevenção e saúde.

Durante os dois meses citados, nota-se que o assunto mais falado é a doença e não a prevenção, e isso nos diz algo muito importante: que o papel da mídia na educação social ainda é fundamental e nos faz repensar sobre as nossas ações como comunicadores e criadores de conteúdo, afinal, a forma como escolhemos expor nossas ideias pode ser o grande diferencial para mudar esse jogo.

#GoGreenz!

Deixe um comentário