Greenz
Precisamos falar sobre diferenças
por Greenz Digital

Para quem leu nossa última matéria sobre Outubro Rosa X novembro Azul, viu que nós questionamos muito o nosso papel como comunicadores. Afinal, todos sabemos que existem diferenças sociais que impactam diretamente a vida de outros, erroneamente chamados de “minorias”, mas que, proporcionalmente, representam uma parcela gigantesca da população. Hoje se fala muito sobre dar fim ao racismo, à homofobia e ao machismo, por exemplo, mas essas são apenas algumas temáticas que devem ser abordadas na comunicação com o intuito de tornar a nossa sociedade cada vez mais igualitária e justa.

Publicitários, jornalistas, designers. Todos fazem parte de um leque de profissões que, na maior parte das vezes, recebem a missão de alavancar marcas no mercado, criar peças criativas que vendam produtos e ideias meramente comerciais. Mas será que não podemos ir além e vender também ideais que compactuem com essa nova era que estamos vivendo?

A resposta é sim! Nós podemos e, de pouco em pouco fazemos. É isso que mostrou o portal da Adweek, ao eleger as 10 melhores campanhas de 2017, veiculadas nos Estados Unidos, com exemplos densos e cheios de inspiração que, para muitos, é de encher os olhos. Lembrando que não se trata apenas de campanhas premiadas, mas sim, que conseguiram de alguma forma impactar na cultura popular e marcar uma era.

Separamos aqui 5 campanhas eleitas, mas você pode ver a íntegra diretamente no site do portal. Vamos lá?

01 – “Fearless Girl” (McCann New York)

A ação teve o intuito de criticar a desigualdade entre homens e mulheres no universo de Wall Street, mercado financeiro americano. A estátua de uma garota foi instalada em frente ao icônico touro, em sinal de afronta, e lá permanecerá para deixar o recado bem claro: desigualdade de gênero, nunca mais. Essa campanha também ganhou 4 Grand Prix no festival de Cannes.

02 – “1-800-273-8255” (Logic)

O rapper Logic teve a brilhante ideia de criar uma música intitulada “1-800-273-8255” número de telefone da National Suicide Prevention Lifeline (Linha Nacional de Prevenção ao Suicídio). Ele trabalhou diretamente com a entidade durante o projeto e inspirou milhares de pessoas com suas palavras de apoio. Durante o dia de lançamento do single, foram registradas 4.573 chamadas, 27% a mais do que o usual; além disso, a procura pelo site da NSPL teve um aumento de 30%.

Confira:

03 – The New York Times “The Truth Is Hard to Find” (Droga5)

Neste projeto, que nasceu em meio ao aumento das famosas Fake News, a ideia é trazer reconhecimento ao verdadeiro jornalismo, além de mostrar as dificuldades da profissão e a realidade das pessoas que estão diariamente correndo atrás da verdade, independente das adversidades. Utilizando muitas fotos de Tyler Hicks e Bryan Denton, os filmes conseguem trazer a emoção de presenciar situações caóticas que envolvem medo e, ao mesmo tempo, esperança.

04 – Burger King “Bullying Jr.” (David Miami)

Uma câmera escondida e a verdadeira reação das pessoas podem ser armas fundamentais para a conscientização social. É isso que mostra a Agência David Miami, nesta campanha que busca elucidar a necessidade de um posicionamento ativo contra o bullying, não importa onde ele aconteça.

E aí, o que você faria nessa situação?

05 – Procter & Gamble “The Talk” (BBDO New York)

Neste filme, assinado pela P&G com a frase “My black is beautiful”, com fotografia e atuações excelentes, a intenção é falar sobre preconceito, suas consequências e a luta de todos os negros que passam por isso diariamente. Apesar de ter sido feita para se comunicar com a realidade norte americana, a campanha também faz total sentido no cenário brasileiro, onde a cor da pele, infelizmente, é motivo de discriminação tanto quanto em outros países.

Deixe um comentário